PT / EN
 
15.05 > 16.06.2017
Alain Urrutia — Mirror Rim




A exposição MIRROR RIM do artista Alain Urrutia (Bilbao, 1981), co-produzida pela Fundación DIDAC e Appleton Square, com o apoio do Instituto Vasco Etxepare, apresenta um total de onze pinturas que exibem imagens passíveis de uma possível inversão. Com uma disposição oposta à inicial, estas imagens funcionam num registo formal, mas também ao nível da sua plasticidade. Ao expor imagens refletidas no seu eixo vertical, que na composição funcionam pela sua rotação, as pinturas são mostradas em várias possíveis posições. Assim, se na Fundação DIDAC elas foram mostradas de uma maneira, no espaço de Appleton Square elas são apresentadas de modo contrário. Deste modo, a segunda exposição passa a ser o reflexo da primeira. Assim o título -MIRROR RIM- assume um palíndromo, que se lê, de igual modo, da direita para a esquerda e da esquerda para a direita. De modo cuidado, o trabalho de Alain Urrutia analisa diferentes leituras de imagens pre- existentes, fragmentando e reconstruindo a sua realidade, de forma a eliminar a sua historia, através da pintura. Este é um jogo de sombras que, com várias camadas de branco e negro, e com recurso ao reenquadramento e à ocultação, destaca detalhes que geram imagens misteriosas. O artista considera a reacção do espectador e abre distintas conectividades dos motivos representados. Sempre com a ideia de dotar o trabalho de uma unidade formal, dentro da qual ocorrerem diferentes significados, o artista assegura, também, uma grande elasticidade na sua leitura conceptual. Em simultâneo com o decorrer da exposição apresenta-se um livro, editado pela Dardo, que recorre ao trabalho realizado pelo artista nos últimos cinco anos. A publicação conta com um texto da curadora do Museu Guggenheim, Geaninne Gutiérrez- Guimarães, e uma conversa de David Barro com Alain Urrutia.


créditos © appleton square



   
sobre   apoios   edições   imprensa   contactos   2007-2018
Mecenas: HCI / Colecção Maria e Armando Cabral